22 de nov de 2010

Não tem cara de tiozinho

- Porra mãe, me acordar cedo no domingo pra ir a almoço beneficente é o fim da várzea, né?

- Julieta Cristina, isso são modos de falar com a tua mãe? Puta que pariu, hein?

Bom, ela mesma respondeu, não preciso dizer mais nada...

- E esse gordo, ele tá indo pra levar o almoço beneficente à falência? Aliás, é em benefício de quem mesmo?

- Sei lá, Julieta, é da igreja do bairro.

- Ah tá, em benefício próprio então.

- Caralho Julieta, isso é jeito de falar?

- Ué, achei que depois da conversão pro espiritismo...

- É zen-budismo, sua aculturada. Droga Paulo Afonso, sai logo do banheiro! Julieta, vai limpar o cocô que a Sinfonia fez no corredor! Se ajeitem logo, o Fernando já deve estar chegando. Vocês só me atrasam, dá pra fazer alguma coisa direito? Julieta Cristina, essa zona que você chama de quarto vai ficar assim? Paulo Afonso, sai do banheiro, quero ajeitar meu cabelo! Cadê o lerdo do Fernando que não chega nunca?

Caramba, parece que o zen-budismo deixou minha mãe meio tensa... Tá, pelo menos a Lidi e a Naty também vão nesse almoço falido. Saco, odeio acordar cedo em domingo, odeio comer nesse tipo de lugar, sempre tem alguém fedido do meu lado.

- Manhêêê, o pápi chegou!

- Ô, abostado, o Fernando não é teu pai. Aliás, nem eu sei quem é teu pai, seu retirado do lixão. Fala pro Fernando que a gente já vai pro carro, vou avisar a mãe.

- Já escutei, não sou surda como vocês. Julieta, isso é roupa que se use numa igreja?

- Ai mãe, não me torra, tua saia é mais curta que a minha

.- Óbvio que não, eu é que sou mais alta que você. E não enche meu saco, criatura!

'Cegonha querida, não tinha um lugar mais 'normal' pra me largar, tipo assim, um centro de estudos psiquiátricos? Gente doida.

- Seu gordo imbecil, já te falaram pra não peidar num ambiente fechado? Ô mãe, teu filho peidou de novo. E ele comeu pizza de atum com ovo ontem de noite, né?

- Paulo Afonso, cadê os modos? Esqueceu a educação que te dei, merda!

- Calma, bonecrinha, tá tão nervosa hoje...

- Ai Fernando, não se mete também que hoje não tô boa.

Céus... não é TPM, porque a mãe menstrua junto comigo e isso foi na semana passada. Então, se a mãe não menstruou semana passada e tá nervosa... e o Paulo Afonso tá com 9 anos e nossa diferença é de 10 anos... Socorro, essa louca tá grávida de novo! Eu vou chorar, juro que vou.

- Tá, chegamos. Vou falar umas coisas e não vou repetir: Julieta, sem gritos histéricos quando encontrar tuas amigas piriguetes, P.A. sem arrotar, peidar e enfiar o dedo no nariz, e não enche a boca de comida. E Fernando, se eu te pegar se engraçando pra alguém eu te defenestro da minha vida, ouviu? Julieta, sem gritar, tá?

- Tá se repetindo, mãe. Pode deixar, não vou gritar, aliás não faço isso desde os 10 anos, sabe...

- Não me retruca que não tô boa!

Medo, muito medo. Cadê minhas amigas? Preciso de carinho... Ai, xiriguidum, o profe novo da academia!

- Cris, te achamos!

- Lidi e Naty, que alííívio encontrar vocês! Viram o gato dos gatos ali na mesa do canto?

- Vimos sim, mas ele tá acompanhado. Tá sentada amiga?

- Ai G-Zuis... Com quem ele tá?

- "Com quem" não, fófis, "contra quem". Sabe a Aline, aquela vadEa láda facul? Segura teu queixo, mas eles chegaram de mãos dadas!

- Tô bege!! Aquela vagabunda que os guris chamam de saco de esperma?

“Odeio, odeio muito, tomara que ela morra de catapora! Ai, não, eles tão vindo pra cá! Disfarça...”

- Oi, gurias. Queria apresentar meu namorado pra vocês, o Ju.

- Oi Ju. A gente te chama de professor Marques, não sabia teu nome.

- Na real, meu nome é Juvêncio.

- Ah sim... (Murphy, seu filho da puta, sai do meu pé. Já não basta o professor 'depois de lindo" da academia namorar essa... essa... essa... essa imoral, ele ainda se chama Juvêncio? O que mais pode piorar?)

- Cris, viu que tristeza a roupa dele?

- Ai nem reparei. Tive um engulho quando escutei o nome, tive que me controlar pra não ter uma síncope, então não vi mais nada.

- Ele tá de papete, bermuda de tiozinho e camiseta pólo. Por dentro da bermuda.

- Papete? Eu até aceito a camiseta por dentro da bermuda, mas... papete? Preciso ver isso, eles sentaram na mesa em frente à minha. Depois a gente se fala, gurias!

Tá, e a vergonha de sentar nessa mesa? O Fernando come igual um ogro, o decote da mãe é tão grande que tem macarrão no meio dos peitos dela, e o P.A. tá com o nariz escorrendo e comendo com a mão. Alguém por favor me trucida? Deixa eu olhar pro pé do querido... Ai credo, não é papete, é sandália Franciscana! Socorro. Nããão, ele tá de pochete!

- E pra beber, moça?

- Cicuta, por favor.

0 comentários: