9 de nov de 2010

Conto do eu falante

- Tchau amor!

- Tchauzinho!

Ele saí. Ela pensa: porque só ele tem que trabalhar em véspera de Natal? Assim, ela pensou em fazer um jantar especial para ele, já que não teriam ceia mesmo, só os dois. A melancolia do Natal tomava conta dela. Chocolate. Vontade repentina de tomar chocolate. Ela liga pra ele. Telefone toca, ele atende. Ela diz: -Amor, tudo bem?

- Aham, o que quer?

- Nossa (respira fundo)! Amor, você pode trazer um pote de chocolate quando vier pra casa?

- Levo.

Ele desliga o telefone. Uma lágrima caiu dos olhos dela. Só o Natal a deixa tão sensível, ele sabia disso. Ou não? Sim, ele sabe. “Nunca deixo transparecer”. Ele sabe. “porque foi tão seco comigo?” Ela se sente só. Longe da família. Longe dos amigos. Fazia algum tempo que a vida deles era assim. Ele e ela e mais ninguém. Com o som ligado, ela arruma a casa para esperar o retorno dele.


“Ele deve estar ocupado... sim, está ocupado”. Varre a casa. “Ele poderia estar ocupado, mas poderia não estar também” “Ele gosta de outra, certo que sim, deve ter medo de me magoar, não quer me fazer sofrer”. Ela chora e arruma a cozinha.

“Porque ele não me contou logo que gosta dela? Me pouparia de tanta coisa” Acha o celular dele em meio as arrumações da sala. “Não vou olhar! Celular é pessoal demais, estaria sendo histérica demais”. O celular pisca, ela se rende e o pega. Larga em cima da estante e resolve fazer um jantar. Talvez o último jantar para os dois. Gostaria de ouvir as confissões dele, olhando em seus olhos. Entre seus passos até a cozinha, pensava o quanto mexer nas coisas dele não fazia parte dela, e ela estava caindo nessas tentações.

“Minha vontade é por veneno no prato dele, ele não tem o direito de fazer isso comigo”.

“Pára, ele sempre gostou de nunca existirem cobranças em nosso relacionamento, porque me sinto assim?” Queima o arroz, ela sente raiva. Joga a panela pra dentro da pia. Lava.

“Quer saber? Ele não merece um jantar”. As lágrimas se misturam ao sabão e à água corrente. Ela vai pro banho. “Dói ter feito as escolhas que fiz. Deixei muita coisa de lado pra tentar ser feliz com ele. E pela maior parte do tempo eu fui, não mereço um final assim”. Sai do banho e se arruma como se fosse à uma festa. Ela resolve ir pessoalmente comprar o chocolate. Sim, se arruma toda para ir ao mercado, as pessoas vão achar que o Natal dela é importante. Sim, é o final de uma história, merece uma roupa à caráter.

“Vou avisá-lo que eu mesma vou comprar o chocolate”. Liga para a empresa, o telefone toca, toca, ninguém atende. Ela baixa a cabeça. “É a prova definitiva, fingiu bem, achei que estava com “nóias”, mas não. Se confirma”. Ela limpa a lágrima que rolava por sua face, para não borrar a maquiagem.
Olhou o celular dele mais uma vez, foi na direção dele, mas desviou o caminho. Foi até sua bolsa e decidiu ir comprar o chocolate, e passear sozinha, pra ver pessoas diferentes.
O rádio toca a canção deles, “More than words”:


Saying I love you
Is not the words
I want to hear from youIt's not that
I want you
Not to say, but if you only knew
How easy it would be to show me how you feel
More than words is all you have to do to make it real
Then you wouldn't have to say that you love me
Cause I´d already know
What would you do if my heart was torn in two
More than words to show you feel
That your love for me is real
What would you say if
I took those words awayT
hen you couldn't make things new
Just by saying I love you
More than words
Now that I've tried to talk to you and make youunderstand
All you have to do is close your eyes
And just reach out your hands and touch me
Hold me close don't ever let me go
More than words is all
I ever needed you to show
Then you wouldn't have to say that you love me
Cause I'd already know
What would you do if my heart was torn in two
More than words to show you feel
That your love for me is realWhat would you say if
I took those words away
Then you couldn't make things new
Just by saying
I love you More than words...


Ela teve certeza que era hora de acabar com aquele sofrimento, pegou a chave da casa, e no exato instante, ele chega em casa. Dá um beijo na testa dela, diz o quanto está cansado, não nota que ela estava maravilhosamente produzida, saindo de casa. Ela percebe que ele se esqueceu do chocolate. Ele explica que passou o dia trabalhando sob cuidados do chefe, pediu desculpas pela forma que teve que agir no telefone, deseja um feliz natal. Ela viu que ele estava sendo sincero, quando Ele foi pro banho, Ela saiu para comprar chocolate.

1 comentários:

Hugo Pires Teixeira (@hugopt) disse...

Interessante e instrutivo saber o q as mulheres pensam em determinadas situações...
Gostei de teus blogs, fico caçando algo interessante na blogosfera, não é sempre q acho coisa boa, parabéns!

@hugopt
Sem Anestesia - www.hugopt.blogspot.com